Bernie Sanders convoca à fundação de uma Internacional Progressista

Por David Brooks *

 Washington

“A xenofobia nacionalista na Europa e o avanço da direita neoliberal forçam os setores progressistas a se unirem”

Na sexta-feira, 30 de novembro, um fórum de líderes progressistas no estado de Vermont, Estados Unidos, lançou uma convocação para se fundar uma Internacional Progressista, promovida pelo senador socialista democrático Bernie Sanders e pelo ex-ministro grego das finanças Yanis Varoufakis com a finalidade de confrontar as forças nacionalistas de direita do mundo.

Como me disse um bom amigo aqui, o México está emergindo de um longo período de escuridão, justamente quando a América está desaparecendo em um buraco cada vez mais negro. Agora a questão é: quando poderá acontecer algo semelhante ao norte da fronteira?

Enquanto editorialistas, analistas, especialistas e outros nos Estados Unidos continuam a se perguntar se o novo governo do México será pragmático ou populista e vários se alarmam acreditando que poderiam estar em risco as grandes reformas, as instituições e a própria democracia no país vizinho, é às vezes incrível que neste momento não entendam que estão questionando a essência da democracia eleitoral que dizem defender: a expressão nas urnas da vontade de um povo. Que não gostem do resultado é outra coisa.

Ao mesmo tempo, muito poucos aqui mostram alguma vergonha neste momento quando em seu próprio país está se desencadeando uma das ofensivas mais antidemocráticas da história moderna, com um regime que lança políticas de perseguição e agressão contra imigrantes, minorias, mulheres e meios de comunicação social e desafia abertamente os poderes judiciário e legislativo e até mesmo suas próprias agências de segurança pública.

Nos últimos dias têm-se registrado aqui mais sintomas de decomposição e desespero no país mais rico do mundo, aquele que insiste ser ainda é o farol da democracia e da liberdade. Uma professora da escola de educação da Universidade de Columbia, especializada em história judaica entre outras coisas, chegou a seu escritório para encontrar suásticas pintadas nas paredes, apenas um incidente a mais em uma crescente onda de crimes de ódio.

Ao mesmo tempo, a taxa de mortes por overdose de drogas – especialmente por opiáceos – neste país atingiu um nível sem precedentes de acordo com novos números oficiais, subindo 9,6% em 2017 face ao ano anterior ao causar 70 mil 237 mortes. A taxa de suicídios aumentou 33% entre 1999 e 2017. Em parte por causa disso, o Centro de Controle de Enfermidades informou que a expectativa de vida neste país foi reduzida em 2017. Não se registrou redução continuada na expectativa de vida desde os anos da Primeira Guerra Mundial.

Mas há forças que reconhecem as dimensões dessa crise e que promovem não apenas a resistência, mas uma transformação aqui. Elas se expressam cada vez mais: nestas últimas eleições de meio de mandato, em ações que provocaram pânico entre a classe dominante, quando dezenas de milhares de professores explodiram em greve nos estados mais conservadores há alguns meses, ou os jovens que criaram um movimento nacional de rejeição da violência pelas armas, os jovens imigrantes, entre outros.

Na mencionada sexta-feira, dia 31, em meio a um fórum de líderes progressistas em Vermont, foi feita uma convocação à fundação de uma Internacional Progressista, promovida pelo senador socialista democrático Bernie Sanders e pelo ex-ministro grego das finanças Yanis Varoufakis com a finalidade de confrontar as forças nacionalistas de direita do mundo.

A convocação afirma que chegou o momento de os progressistas formarem um movimento pela justiça global e mobilizar trabalhadores, mulheres e marginalizados em todo o mundo ao redor de uma visão compartilhada de democracia, prosperidade, sustentabilidade e solidariedade

Talvez o México possa ajudar a promover uma transformação aqui através do exemplo, inspiração e/ou através da presença do México dentro deste país. Depois de tanto tempo que os Estados Unidos vêm sendo apresentados em e perante seu vizinho do sul como o modelo a ser seguido, de repente poderia ser o contrário.

Talvez parte da quarta transformação deva incluir um movimento de solidariedade mexicana para, agora, apoiar a democratização dos Estados Unidos. + (PE / Gracus)

* David Brooks. Analista político e internacional norte-americano.

Traducción al portugués por Sergio Marcus Pinto Lopes    

SN 482/18

Responder

Por favor, inicia sesión con uno de estos métodos para publicar tu comentario:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s